ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - O efeito de um "desaparecimento gêmeo 'no primeiro trimestre de triagem marcadores bioquímicos e ultra-som para a síndrome de Down em gestações concebidas por tecnologia de reprodução assistida.

O efeito de um "desaparecimento gêmeo 'no primeiro trimestre de triagem marcadores bioquímicos e ultra-som para a síndrome de Down em gestações concebidas por tecnologia de reprodução assistida.

JUSTIFICATIVA:
Estudos anteriores descobriram que uma em 10 de fertilização in vitro (FIV) singletons origina de uma gestação gemelar. Primeiro trimestre de Down marcadores de triagem síndrome são alterados em técnicas de reprodução assistida (ART) gravidez em comparação com gestações espontaneamente concebidos. A presença de um embrião pereceram pode complicar ainda mais triagem pré-natal entre mulheres grávidas após ART. O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto de um "desaparecimento gêmea 'no primeiro trimestre combinado bioquímica e triagem de ultra-som na gravidez concebida após fertilização in vitro e injeção intracitoplasmática de espermatozóide.
MÉTODOS:
A partir de um estudo de coorte nacional prospectivo de rastreamento de primeiro trimestre combinado entre as mulheres grávidas após ART, 56 casos de gestações com um duplo desaparecimento foram identificados. O grupo controle, 897 casos de gestações únicas ART foram utilizados. Todas as mulheres completaram uma ultra-sonografia no primeiro trimestre combinados e programa de rastreio bioquímico compreendendo soro PAPP-A e beta-hCG livre juntamente com translucência nucal medição (NT).
RESULTADOS:
Não houve diferenças significativas no MoM média geométrica livre beta-hCG e PAPP-A entre gestações com um início (semana gestacional <9, EVT) ou tardia desaparecendo twin (9-13 semanas de gestação, LVT) ou gestações únicas (0,98, 1,13 e 0,95 para beta-hCG livre e 0,84, 0,80 e 0,74 para PAPP-A, respectivamente). Da mesma forma, não foi observada diferença para medições NT. A idade gestacional no momento da coleta de sangue e exame NT foi semelhante para os três grupos. A proporção de gravidezes EVT com PAPP-A e beta-hCG livre log valor MoM (10) abaixo dos 5% iles e acima dos 95% iles do valor nas gestações únicas foram 4,3%, 4,3%, 6,4% e 8,5 %, respectivamente, o que não constitui uma diferença significativa de singletons. Os valores correspondentes para as gravidezes LVT foram de 0%, 22,2%, 0% e 11,1%, respectivamente, no entanto, estes números foram muito pequenos para que os cálculos estatísticos.
CONCLUSÕES:
No primeiro trimestre de marcadores bioquímicos de triagem em mulheres grávidas após ART, e com um gêmeo sumiu diagnosticado em ultra-sonografia precoce, não diferem dos de gestações de arte únicas. Nos casos em que a morte fetal foi diagnosticada pela primeira vez no momento da verificação NT, é duvidoso que a avaliação do risco de soro é tão preciso como é em gestações únicas ART. Não foi observada diferença para medições NT.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=%22The+effect+of+a+'vanishing+twin'+on+biochemical+and+ultrasound+first+trimester+screening+markers+for+Down's+syndrome+in+pregnancies+conceived+by+assisted+reproductive+technology.%22

VEJA TAMBÉM:



Texto Original

BACKGROUND:
Previous studies have found that 1 in 10 in vitro fertilization (IVF) singletons originates from a twin gestation. First trimester Down's syndrome screening markers are altered in assisted reproductive techniques (ART) pregnancies compared with spontaneously conceived pregnancies. The presence of a perished embryo may further complicate prenatal screening among women pregnant after ART. The aim of this study was to assess the impact of a 'vanishing twin' on first trimester combined biochemical and ultrasound screening in pregnancies conceived after IVF and intracytoplasmatic sperm injection.
METHODS:
From a national prospective cohort study concerning first trimester combined screening among women pregnant after ART, 56 cases of pregnancies with a vanishing twin were identified. As control group 897 cases of ART singleton pregnancies were used. All women completed a first trimester combined ultrasound and biochemical screening programme comprising serum PAPP-A and free beta-hCG together with nuchal translucency (NT) measurement.
RESULTS:
There were no significant differences in geometric mean MoM free beta-hCG and PAPP-A between pregnancies with an early (gestational week <9, EVT) or late vanishing twin (gestational week 9-13, LVT) or singleton pregnancies (0.98, 1.13 and 0.95 for free beta-hCG and 0.84, 0.80 and 0.74 for PAPP-A, respectively). Likewise, no difference was seen for NT measurements. The gestational age at the time of blood sampling and NT scan was similar for the three groups. The proportion of EVT pregnancies with a PAPP-A and free beta-hCG log(10)MoM value below the 5th%iles and above the 95th%iles of the value in the singleton pregnancies were 4.3%, 4.3%, 6.4% and 8.5%, respectively, which did not constitute a significant difference from singletons. The corresponding values for LVT pregnancies were 0%, 22.2%, 0% and 11.1%, respectively; however, these numbers were too small to allow for statistical calculations.
CONCLUSIONS:
First trimester biochemical screening markers in women pregnant after ART, and with a vanished twin diagnosed at early ultrasound, do not differ from those of other ART singleton pregnancies. In cases where the fetal demise was first diagnosed at the time of the NT scan, it is doubtful whether the serum risk assessment is as precise as it is in singleton ART pregnancies. No difference was seen for NT measurements.

VEJA TAMBÉM: